Tecnologias exponenciais: quais são os profissionais que o mercado vai precisar nos próximos anos?

Aplicáveis a várias áreas, as tecnologias exponenciais promovem um crescimento acelerado nas empresas. A principal característica dessas soluções é o seu poder de impactar a vida das pessoas.

Atualmente, é comum vermos empresas gigantes que tiveram uma nova tecnologia como catalisadora do seu sucesso, a exemplo de Uber, Netflix e Airbnb.

As transformações digitais trazem mudanças práticas para a vida do público e de certos mercados. Então, para se tornar uma marca consolidada é necessário se adaptar a essa realidade e conhecer as tendências relacionadas às tecnologias exponenciais.

Segundo a pesquisa TIC Domicílios 2019, três a quatro brasileiros/as têm acesso à internet. Ainda segundo o levantamento do Comitê Gestor da Internet no Brasil, existem 134 milhões de usuários de internet no país. Isso mostra a relevância da tecnologia no dia a dia das pessoas. 

O que são tecnologias exponenciais?

Um velho conhecido da matemática, o termo exponencial se refere a um valor que é multiplicado por um número constante. Dessa forma, devido à curva exponencial do número, o seu crescimento é rápido e acelerado. 

Nesse sentido, as tecnologias exponenciais são inovações capazes de gerar um crescimento exponencial para uma empresa. Esses recursos causam um grande impacto em um período curto de tempo. 

Geralmente, essas tecnologias são idealizadas para solucionarem problemas do cotidiano e, por isso, acabam se mostrando mais eficientes e obtendo resultados imediatos.

Mas antes de explorar mais o conceito de tecnologias exponenciais, é necessário abordar o que é a Lei de Moore, que foi criada em 1965 por Gordon Moore. 

Essa lei surgiu com uma conclusão do cofundador da Intel, que percebeu como a cada 18 meses, o número de transistores dos chips aumentava 100% e sempre com o mesmo custo.

Com o passar dos anos, essa lei acabou sendo comprovada e aplicada em outras áreas da tecnologia. Ao invés de um crescimento incremental linear, essas tecnologias se desenvolvem com base na geometria. 

Logo, essas tecnologias são pautadas pela escalabilidade em uma curva exponencial. 

A própria Netflix é um exemplo de uma empresa exponencial. Fundada em 1997, a empresa teve início como uma simples locadora de vídeos, caracterizando um processo antigo e obsoleto.  

Em 2007, ela mudou seu modelo de negócios para um serviço de streaming. Com isso, a Netflix revolucionou a forma como as pessoas consomem filmes e séries. Agora, ela já conta com 203,66 milhões de assinantes.

Os 6ds da tecnologia exponencial

O conceito de tecnologias exponenciais foi criado por Peter Diamandis, fundador da Singularity University. O empreendedor e engenheiro também estabeleceu o modelo de 6 Ds da tecnologia exponencial. 

Confira abaixo cada um deles e seus significados:

  • Digitalização;
  • Decepção;
  • Disrupção;
  • Desmonetização;
  • Desmaterialização;
  • Democratização.

Digitalização

O primeiro requisito de uma tecnologia exponencial é poder ser reproduzida no meio digital. Assim que deixa de ser um processo antigo, ela pode ser reproduzida e escalada com custos menores e de uma forma simplificada. 

Decepção

A segunda fase da tecnologia exponencial é a decepção. Nesse momento, mesmo que a tecnologia tenha potencial e aspectos exponenciais, ela ainda não demonstra uma curva acelerada de crescimento.

Disrupção

A disrupção é a etapa em que a tecnologia causa um impacto significativo em um mercado já consolidado. O surgimento de ótimos resultados e o crescimento exponencial dos números são sinais dessa etapa. 

A transformação é tão forte que pode extinguir o mercado já existente e criar um espaço completamente novo.

Desmonetização

A fase de desmonetização é, na verdade, uma consequência da etapa anterior. Esse fenômeno é caracterizado pela diminuição do preço pago por uma tecnologia. 

Dessa forma, é possível que as pessoas tenham acesso a essa tecnologia mesmo que possuam pouco dinheiro. 

Desmaterialização

Na desmaterialização, o próprio produto começa a se tornar puramente digital. Ou seja, o objeto físico que representa as tecnologias exponenciais acaba deixando de ser necessário.

Democratização

A última etapa das tecnologias exponenciais é a democratização. Ao invés de serem produtos caros e luxuosos, eles acabam sendo acessíveis para boa parte da população.

Assim, pessoas de condições socioeconômicas mais baixas podem desfrutar dessas inovações. Um exemplo disso é o lançamento de versões mais baratas e com várias funcionalidades nos serviços de mobilidade urbana, como Uber. 

Como as tecnologias vão impactar o trabalho?

O desenvolvimento das tecnologias exponenciais permite que as empresas possam explorar novas oportunidades dentro do mercado. Além de trazerem maior eficiência operacional, os 6 Ds aplicados corretamente elevam a receita dos negócios.  

Ao lidarem com tecnologias exponenciais, é provável que as empresas consigam atender às necessidades dos clientes, uma vez que seus produtos são completamente focados no público. 

Inteligência Artificial

A inteligência artificial é capaz de oferecer diversas aplicações para empresas. Os sistemas que são desenvolvidos por ela conseguem coletar dados reais e tirar conclusões a partir dessas informações, tendo o poder de reproduzir comportamentos humanos. 

Além de aumentarem a produtividade, os softwares também potencializam os resultados de uma forma automatizada. 

Ciência de dados

Também chamada de Data Science, essa aplicação organiza e interpreta uma quantidade extensa de dados que estão na Internet. 

A partir dessas análises, a ciência de dados consegue gerar insights valiosos para as empresas. Essas revelações falam sobre a sociedade e os consumidores. 

Internet das coisas

A internet das coisas consiste na interconexão digital de vários produtos que são usados no cotidiano. Ela apresenta uma vasta possibilidade de dispositivos que podem ser conectados. Essa ação pode melhorar e otimizar vários produtos e serviços.

Profissões que serão mais requisitadas 

O desenvolvimento dessas soluções faz com que novas profissões despontem como tendência. Assim, o mercado de trabalho e as empresas passam a exigir habilidades técnicas e competências comportamentais, as famosas soft skills, específicas dos profissionais. Veja as carreiras do futuro!

Cientista de dados

O cientista de dados ou Big Data é o profissional que lida com a quantidade massiva de dados que são coletados. 

Essa função é crucial para a estratégia e tomada de decisões de um negócio. Ela inclui a obtenção e análise de dados que podem ser coletados em CRM, e-mails e nas redes sociais. 

Especialista em SEO

Ao lado do traffic manager, o especialista em SEO cuida de toda a parte de Search Engine Optimization. Ele projeta estratégias assertivas para promover e otimizar conteúdos, além de aumentar a base de clientes alcançados.

Chief Xperience Officer (CXO)

Também conhecido como diretor de experiência, o Chief Xperience Officer (CXO) busca assegurar que as interações que ocorrem entre o público e a empresa sejam positivas e satisfatórias. 

A sua principal função é criar experiências que sejam memoráveis e definir ambientes que sejam amigáveis para o cliente.

Diretor de Marketing Digital

Chamado também de Chief Marketing Officer (CMO), o diretor de marketing é quem estabelece toda a estratégia digital da empresa. 

Boa parte da interação das marcas com o seu público é feita pelos espaços digitais, assim é importante que o planejamento e o setor de marketing tenham uma liderança que conheça tudo sobre as vendas online e a comunicação.

Especialista em Inteligência Artificial

A inteligência artificial é uma das maiores tendências para o futuro. Assim, as empresas exponenciais devem ter um especialista em IA que saiba como operar essas práticas para o desenvolvimento de tecnologias.

Esse profissional consegue construir os mecanismos de inteligência artificial e softwares. 

Especialista em UX e usabilidade

Na era digital, é essencial prestar atenção na experiência do usuário nas plataformas. O propósito desse profissional é desenvolver interfaces que obtenham sucesso na interação com os usuários e que tenham estéticas amigáveis.

Tendências do mercado digital para 2022

Neurotecnologias

Algumas das principais tendências para o futuro estão relacionadas à área de neurotecnologia. Essas inovações conseguem interagir com o cérebro humano para investigar e analisar todas as funções neurais. 

Tendo como base os computadores controlados pela mente, a neurotecnologia é uma forma de reabilitação virtual que ajuda pessoas com deficiência na execução de várias atividades. 

Nanossatélites

A criação de satélites minúsculos pode otimizar as áreas da comunicação, pesquisa e educação, inclusive facilitando a pesquisa do universo e seus planetas. Pesando menos de 50 Kg, esses instrumentos são desenvolvidos por meio da nanotecnologia. 

Blockchain

Relacionada à criação das criptomoedas e ativos digitais, a tecnologia blockchain é uma das tendências para o próximo ano. 

Um dos exemplos é a MOEDA, uma fintech brasileira criada para aumentar o acesso das pessoas ao mercado financeiro. Ela se posiciona como uma plataforma bancária e colaborativa pioneira. 

O objetivo desse projeto é oferecer financiamento para ações de empreendedorismo que causem algum impacto social. 

Gostou do nosso conteúdo? Continue acessando o nosso blog para ver mais artigos!

Postagem anterior
Próxima postagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.