Social Audio: o que é uma rede social baseada em áudio

Os/as usuários/as do social audio, em especial do Clubhouse, estão encantados/as com essa nova tendência de rede social baseada no envio de mensagens de áudio.

Grande parte desse furor se deve por se tratar de uma novidade, é claro. Com tantos apps e plataformas consolidadas, como WhatsApp e Facebook, parecia não haver mais espaço para concorrentes.

Porém, se você estava seguindo o movimento dos/as usuários/as, pode perceber que recentemente houve uma grande migração para Telegram e Signal. 

Não sei se você se lembra, mas, há pouco tempo, usuários/as de WhatsApp e Facebook começaram a se queixar das “políticas de privacidade” dessas gigantes da tecnologia. A insatisfação com o compartilhamento indiscriminado de dados entre as plataformas foi generalizada. 

Para o mercado, essa postura ficou clara e deu um sinal muito importante: usuários/as da internet estão abertos/as a novidades, podem adicionar ou trocar de redes sociais a qualquer momento, migrando, inclusive, para o social audio.

Social audio: o que é e como o Clubhouse se destacou rapidamente

A plataforma de social audio do momento é o Clubhouse, uma rede social baseada no envio de mensagens de áudio, criação de salas de bate-papo (geralmente temáticas) e com algumas características bem interessantes, como:

  • Funcionamento exclusivo para iPhones, por enquanto;
  • Salas de bate-papo que suportam até 5 mil ouvintes;
  • Tem o conceito de clube, por isso você precisa ser convidado/a para entrar;
  • O social audio Clubhouse limita o número de dois convidados para cada novo membro, mas isso pode aumentar conforme seu engajamento na rede;
  • Personalidades como Elon Musk, um dos homens mais ricos do mundo e ligado à tecnologia, fizeram o app Clubhouse bombar.

Na prática, quando você estiver usando o áudio social, vai perceber que para enviar sua mensagem basta manter um emoji com a mão levantada, como quem está pedindo a vez para falar.

O áudio social não permite o envio de vídeos e fotos, a única imagem que vale é a do seu perfil, suficiente para sua identificação.

As salas de bate-papo costumam ter um/a moderador/a, alguém que controla o ambiente para permitir que as pessoas falem e que organiza o espaço virtual no áudio social. Ele/a também permite ou não que os microfones fiquem abertos. 

Para você se tornar um/a usuário/a do Clubhouse, basta baixar o app do áudio social e aguardar em uma lista de espera. Caso algum/a amigo/a já esteja cadastrado/a, ele/a poderá te convidar.

Social audio é uma tendência entre as novas redes sociais 

Qual é a evolução do rádio e dos podcasts? Recentemente, alguns/algumas especialistas mais pessimistas podiam prever o fim da radiocomunicação com a chegada dos serviços de streaming por áudio.

Os/as estudiosos/as mais atualizados/as sobre a indústria audiofônica entendem que haverá uma adaptação de todos os canais e veículos. Por isso, o áudio social é uma reinvenção dos podcasts, só que com o diferencial da participação ao vivo, em uso simultâneo e instantâneo.

Assim como acontece com podcasts e rádio, quem está com o Clubhouse ativo pode executar atividades paralelas, como fazer uma corrida ou cozinhar, por exemplo, enquanto escuta os áudios. 

O grande diferencial do áudio social está na interatividade e na comunicação bidirecional: os/as usuários/as podem participar quando quiserem, sem ter que enviar uma mensagem ou fazer um telefonema. 

Isso, sem dúvidas, pode ser encarado como uma pequena revolução no modelo como usamos conteúdo em áudio, pois, com o Clubhouse, basta manifestar o desejo de falar – levantar a mão e pedir voz. Simples, rápido e eficiente!

A maioria das salas funciona com um tema e o/a moderador/a vai decidir se você pode ou não fazer a sua pergunta ou comentário. Então, no Clubhouse, temos três características integradas de três apps de sucesso que já estavam se destacando no mercado digital:

  • Um ambiente de reunião como o Zoom, onde pessoas se encontram em um espaço digital para abordar um tema em comum;
  • Um espaço onde todos podem ter o microfone aberto como o Discord, amplamente usado pelas empresas depois de migrar do universo gamer para o ambiente corporativo;
  • Um app baseado em áudio, como podcast ou rádio.

O Clubhouse passa a impressão de uma conferência gigante, com diversas salas temáticas e encontros acontecendo ao mesmo tempo.

Este áudio social também apresenta alguns diferenciais quando comparado com outras redes sociais, especialmente com o TikTok, que viralizou faz pouco tempo e trazia grande parte dos/as usuários/as da geração Z.

O Clubhouse concentra pessoas interessadas em networking e relações de trabalho, está sendo usado por um público mais velho, na maioria dos casos para fins de negócios.

O áudio social também segue um caminho que está se consolidando cada vez mais no meio digital: o uso de assistentes de voz. Os/as usuários/as também estão cada vez mais concentrados/as em audiobooks e nos podcasts, que estão fazendo muito sucesso.

Até mesmo empresas de comunicação muito tradicionais, como o Grupo Globo, já estão disponibilizando conteúdos e podcasts para seus/suas seguidores/as. Isso graças à iniciativa de produtores/as de conteúdo que perceberam que uma grande parcela das pessoas está desinteressada em leituras e materiais em vídeo.

Audio social: usuários estão interessados em experimentar tecnologias nascentes

A sociedade está cada vez mais disruptiva e aberta a receber novas tecnologias, algo que está acontecendo neste momento com o Clubhouse.

Para um dos nomes mais conhecidos do Silicon Valley, Jeremiah Owyang, o crescimento exponencial do social audio, bem como suas regras, cultura e o tom usados no app, são definidos pelos/as early adopters.

Para ele, o Clubhouse e os materiais em áudio como podcasts conseguem crescer rapidamente pois estão sedimentados em uma base sólida de smartphones e apps.

Além disso, um número cada vez maior de usuários/as começa a experimentar aplicativos que permitem contato interativo imediato com pessoas, especialmente familiares e amigos/as, durante o isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19.

O especialista elenca os principais motivos geradores de sucesso do áudio social:

  • Pessoas confinadas por causa da pandemia;
  • Grande disponibilidade de apps e smartphones;
  • Tecnologia baseada em nuvem;
  • Fadiga de reuniões em vídeo;
  • Necessidade de estabelecer conexões humanas;
  • Tecnologia em nuvem e facilidade de integração com outras plataformas.

O especialista ainda alerta que, em um futuro breve, as conversas podem começar a ser gravadas, para que seja possível criar análises do social audio, a fim de que seja formatado um sistema de analytics, otimização de conteúdo e mapas de calor em apps como estes.

Será necessário incluir, cada vez mais, cloud computing e IA – Inteligência Artificial nessas ferramentas. Por isso, esteja preparado/a para essas mudanças!

Quer saber mais sobre a tendência do social audio? Então, acesse esse podcast bacanudo da Gama Academy! Aproveite também para conhecer nossa exclusiva plataforma de carreiras, a Gama Station!

Luis Quintanilha

Sou um Growth Hacker e Estrategista que atua na criação, planejamento, inbound marketing e growth e gestão. Trabalho com o propósito de impactar vidas. Me ensine, me deixe ajuda-lo e vamos crescer juntos buscando soluções criativas contribuindo para um mundo melhor. :)

Atualmente trabalho na Gama Academy, uma empresa onde consigo aliar meu propósito ao objetivo da Gama Academy de transformar talentos. Atuamos com treinamento e recrutamento de profissionais ao mercado digital. Se você está precisando contratar, desenvolver suas habilidades ou treinar seu time, fale comigo, será um prazer ajudar!

Postagem anterior
Próxima postagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.