Plano de carreira: por que você deve investir nisso

Sabe quando você quebra a cabeça tentando traçar um caminho profissional que te ajude a alcançar seus objetivos, mas tudo parece um pouco obscuro? 

As incertezas e dificuldades da jornada profissional são inevitáveis, mas acredite: tudo fica mais simples quando você começa a planejar e tem clareza dos passos!

O que pode te ajudar a ter mais clareza na tomada de decisão sobre seu futuro profissional é colocar os planos no papel.

Saber onde você vai começar e onde deseja terminar, tentando prever os possíveis obstáculos e tudo o que será preciso fazer para alcançar seu objetivo: seja uma nova especialização, uma transição de carreira ou um curso específico. 

Para isso, você deve ter um plano de carreira detalhado! 

Você sabe o que é isso? Não sabe? Ou não sabe como fazer? 

Relaxa, nós vamos te explicar e mostrar por que você deve investir nisso! Vem com a gente que é sucesso! 

O que é um plano de carreira? 

Na prática, o plano de carreira pode ser o seu planejamento pessoal sobre o desenvolvimento da sua carreira ou o plano de crescimento oferecido pelas corporações para os/as colaboradores/as. 

Os dois são importantes!

Todo mundo entende que, para ter uma carreira bem-sucedida, é preciso muita dedicação e esforço pessoal. E a sensação de chegar lá, de conquistar a vaga dos sonhos, é sempre indescritível. 

Você merece viver isso!

Depois de ralar muito estudando e adquirindo todas as hard skills e soft skills que o mercado valoriza, você vai ter que meter a cara e ver o que o mercado tem para oferecer. 

Nesse momento, ter um plano de carreira bem estruturado é importante, pois vai direcionar suas escolhas profissionais. 

Com o plano de carreira, é possível alcançar objetivos de carreira e desenvolvimento profissional, além de ter uma vida mais equilibrada, otimizando seu tempo. Sem planejar e investir, dificilmente há progresso! Isso é fato! 

Se você parar para pensar, antes, um/a profissional perseguia apenas uma perspectiva de carreira a vida inteira. 

Quem não tem na família uma pessoa que passou 30 anos dentro de uma empresa? Alguém que começou a trabalhar e se aposentou fazendo exatamente a mesma coisa? 

Hoje, isso mudou! As gerações atuais querem mais é passar por várias empresas, viver novas experiências e realizar um trabalho com propósito. 

Já os/as profissionais mais experientes estão apostando na transição de carreira, até mais de uma vez durante sua trajetória profissional.

Passar por diversos empregos diferentes é uma forma de experimentar novos contextos e culturas organizacionais, e isso é muito bom, pois mostra um universo de possibilidades. 

O/a profissional que vive essa realidade adquire mais experiências e bagagem, além de demonstrar mais flexibilidade e capacidade de adaptação. 

Mas e o plano de carreira? 

Voltando ao plano de carreira, você sabia que a palavra carreira vem do latim e significa “estrada rústica”? 

Por mais poético que possa parecer, isso descreve bem a trajetória profissional da maioria das pessoas: uma estrada, não linear, com alguns obstáculos para serem superados!

Para passar por essa estrada com mais tranquilidade, o plano de carreira pode ser estruturado como um guia, uma espécie de bússola. Com ele, você desenha sua evolução profissional da forma que bem entender. 

Primeiro, defina um objetivo, saiba aonde quer chegar, e depois parta para a ação. 

Por exemplo: você começa a fazer estágio em uma empresa que admira muito e sabe que deseja crescer ali dentro. 

Então, você cria seu plano de carreira, elencando tudo o que é preciso para permanecer na empresa e galgar novas posições. 

Seu plano de carreira deve ter prazo, metas, visão de futuro, cargo que deseja conquistar, quais competências você tem que desenvolver para alcançar o objetivo e outras projeções. 

Com isso, você se coloca de forma proativa e assume o controle do seu futuro profissional. 

Mas lembre-se que é importante estar preparado/a para mudanças de rota. Por isso, seja maleável com você. Saiba quais são seus objetivos de crescimento profissional e corra atrás deles! 

Outra dica importante é conhecer o plano de carreira oferecido pelas empresas para a retenção de seus/suas talentos

Ao saber o que a empresa tem para oferecer, você consegue ser mais realista no seu planejamento profissional e sabe até onde vai poder chegar na hierarquia. 

Leia também: Mindset lean: como isso pode alavancar sua carreira?

Como fazer um plano de carreira? 

Para fazer um bom planejamento de carreira, siga as dicas abaixo:

  • Faça um mapeamento pessoal, identificando seus interesses, valores e talentos;
  • Faça o mapeamento de competências, para entender quais são as competências técnicas que você já possui;
  • Faça o mapeamento do mercado, para encontrar todas as possíveis áreas onde você deseja trabalhar;
  • Estabeleça um plano de ação, com os prazos e ações que são necessárias para alcançar seus objetivos. 

Tenha planos para cada fase da sua vida profissional. Você pode dividir sua carreira em três períodos específicos: dos 20 aos 30 anos, dos 31 aos 40 anos e a partir dos 41 anos de idade. 

Na primeira fase, busque experiências e conhecimentos. Mudanças de emprego são muito válidas nesse período, principalmente para aumentar seu networking. 

Na segunda fase, foque na sua consolidação profissional. Invista no aprofundamento dos seus conhecimentos, faça novos cursos, um MBA e participe de eventos. 

Na terceira fase, trabalhe sua influência. Se você tiver feito tudo certinho nas duas primeiras fases, depois dos 41 anos você estará colhendo bons resultados. 

Saiba que essa fase também é a mais indicada para transições de carreira, você pode mudar de emprego, empreender ou buscar um novo sonho. 

Dicas para tomar uma decisão de qual carreira seguir

Antes de escolher sua carreira, pense cautelosamente em seus talentos, habilidades e qualidades. 

Conheça profundamente seus anseios e sonhos profissionais e busque uma carreira que traga satisfação e felicidade. E, claro: que esteja alinhado com as necessidades de mercado.

Escolha uma carreira ajustável, ou seja, flexível. Assim, você vai ter versatilidade na atuação profissional (e nunca vai cair na monotonia de fazer uma coisa que você não gosta). 

Separe suas opções de carreira a partir de três caixas de pensamentos: a caixa do querer, a caixa da realidade e a caixa de opções. 

Na caixa do querer, coloque seus desejos e anseios pessoais e sociais; na caixa da realidade, coloque as carreiras que você poderia seguir; e na caixa de opções, comece a delimitar as possibilidades. 

Em seguida, analise o cenário e veja onde as informações das duas primeiras caixas se sobrepõem. Isso mostra os melhores caminhos para seguir. 

Conecte os pontos, sem pressão, e tente encontrar uma carreira que possa realmente trazer realização profissional. Afinal, trabalhar com satisfação e paixão é fundamental para ter um bom desempenho em qualquer área. 

Aproveite essa fase de definição para pesquisar as carreiras e o mercado, para visitar empresas, fazer cursos de orientação profissional e testes vocacionais, converse com profissionais das suas áreas de interesse e pratique o autoconhecimento

Tipos de perspectivas de carreira 

Uma vez dentro da empresa desejada, você pode se deparar com diferentes oportunidades de crescimento na carreira. 

Algumas empresas usam o modelo de plano de carreira em Y, pelo qual você pode começar trabalhando em um cargo e, com o passar dos anos, encontrar um ponto de bifurcação, que vai te dar a chance de seguir uma carreira de especialista ou de gestor/a. 

Outro modelo é o plano de carreira em W, no qual há três possíveis caminhos de evolução para o/a profissional. Nesse plano, você pode se tornar um/a gestor/a de projetos. 

Leia também: Conheça os tipos de carreira em W, T e Y. 

Saiba quais são as opções da empresa onde você trabalha e entenda que tipo de especialização ou habilidade você precisa ter para crescer na carreira! 

Postagem anterior
Próxima postagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.