Quais as oportunidades no mercado digital para desenvolvedores/as Front-end

O mercado digital está com diversas oportunidades abertas para quem atua como desenvolvedor/a front-end, em startups, empresas digitais e em corporações de base tecnológica como um todo. 

O desenvolvimento web está entre as carreiras mais atrativas para os/as profissionais digitais que gostam de códigos de programação, linguagem de programação, raciocínio lógico, algoritmos, variáveis e outros termos da área.

Em geral, as vagas disponíveis para desenvolvedor/a front-end existem para pessoas experientes, que já tenham tido passagem por algumas empresas, mas quem está começando agora, já domina alguma linguagem de programação e está em busca do primeiro emprego também encontra seu lugar ao sol!

Muita gente fala em crise e desemprego no Brasil, mas a verdade é que a demanda e as contratações para desenvolvedores/as front-end continuam crescendo. O que só deixa mais evidente a urgência da formação de novos/as profissionais nessa área.

Se nos empregos tradicionais as vagas são escassas, na área de tecnologia e digital, sobram postos de trabalho para pessoas qualificadas. 

As perspectivas são realmente excelentes. Inclusive, nós já publicamos um blog post aqui destacando que, até 2026, as empresas de tecnologia e seus setores de RH devem registrar um aumento de até 24% nas demandas por desenvolvedores/as front-end, conforme dados do Bureau of Labor and Statistic.

Se você fizer uma rápida busca por desenvolvedor/a front-end nos principais sites de vagas de emprego vai encontrar mais de 500 possibilidades para envio imediato de CV, seja para desenvolvedor/a junior ou sênior. Para entender melhor a perspectiva de contratação no mercado brasileiro, dá uma olhada no nosso Tech Jobs Report.

Estes números são importantes para 3 grupos de interessados/as:

  • Para as pessoas que pretendem ingressar no mercado digital como desenvolvedor/a front-end;
  • Para o grupo de desenvolvedores/as front-end que precisa se recolocar no mercado;
  • E para as empresas que contratam desenvolvedor/a front-end e querem encontrar pessoas qualificadas, com hard skills e soft skills para as posições disponíveis.

O crescimento de vagas de trabalho para desenvolvedor/a front-end se deve basicamente a dois fatores: mão de obra qualificada escassa e utilização da tecnologia em diversos produtos e serviços. 

Veremos alguns dados que escancaram este cenário, que deve ser animador para quem está procurando uma vaga ou se preparando para uma longa carreira na área.

Quais são as possibilidades de atuação para desenvolvedor/a front-end

No caso do/a desenvolvedor/a front-end que trabalha para deixar a interface do produto digital mais atrativa para o/a usuário/a, o que não falta é empresa com vaga aberta. Afinal, os negócios de base tecnológica estão sempre lançando ou aprimorando produtos e plataformas digitais para interagir com o público.

Divulgamos estes dias aqui no blog que o Brasil tem, atualmente, mais de 13 mil startups ativas, em cerca de 630 cidades, segundo a Associação Brasileira de Startups. Além disso, segundo pesquisa divulgada pelo Paypal, o e-commerce no país cresceu mais de 37% no último ano e registra cerca de 930 mil lojas online ativas.

Estes são apenas alguns números que mostram, de maneira simplificada, o motivo do aumento de posições abertas para desenvolvedor/a front-end no mercado digital brasileiro.

É simples: os/as consumidores/as estão comprando cada vez mais pela internet. Dados divulgados pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo mostram que, por causa do isolamento social causado pela pandemia de coronavírus, as transações online cresceram mais de 60%.

Inclusive, a alta foi registrada em produtos que não eram tão comuns em compras online, como alimentos e bebidas em pedidos delivery, com alta de quase 80%, segundo o levantamento.

Quais são as pessoas que, em conjunto com outros/as profissionais digitais, como marketing digital, inside sales e design, vão apresentar de maneira interessante, criativa e funcional essa imensidão de produtos e serviços online para o/a consumidor/a nacional? Sim, você está no caminho certo se pensou no/a desenvolvedor/a front-end!

Como os/as dev front-end são aqueles/as desenvolvedores/as web que ficam encarregados/as de apresentar o produto e serviço ao/a cliente-final, existem diversas possibilidades de atuação em uma empresa digital.

Veja algumas oportunidades e funções para desenvolvedor/a front-end em empresas que estão contratando:

  • Participar ou desenvolver projetos para uma interface amigável para produtos e serviços;
  • Criar páginas para inserir produtos e serviços em lojas virtuais e empresas digitais que estão em expansão;
  • Auxiliar no desenvolvimento de um modelo amigável de web scraping para coleta de dados estratégicos para a empresa;
  • Adicionar recursos simples ou elaborados em páginas que interagem diretamente com o/a usuário/a, incluindo sistema de automação que facilita muito a usabilidade;
  • Desenvolver páginas responsivas;
  • Participar em projetos de machine learning;
  • Fazer parte de um time que trabalha com sistema de gerenciamento de tarefas;
  • Integrar uma empresa que faz gestão de aplicativos ou marketplaces;
  • Interface para games;
  • Entre inúmeras outras possibilidades.

Ficou entusiasmado/a com as possibilidades de emprego para desenvolvedor/a front-end? O mercado está aquecido, portanto é hora de se preparar para atender realmente a demanda das empresas digitais e startups.

Quais as principais linguagens de programação utilizadas

Para ir direto ao ponto, as linguagens mais usadas e consideradas essenciais para o/a desenvolvedor/a front-end são as seguintes: CSS, HTML e JavaScript. 

São linguagens de base para a construção do produto e da interface, para melhorar a experiência do/a usuário/a. Enfim, além de um bom design, o produto digital precisa ter uma excelente funcionalidade.

Eu sei, esses dois termos continuam aparecendo. Há uma boa razão para isso. Você não encontrará uma única postagem de vaga para dev front end que não exija proficiência nessas linguagens. 

Para criar páginas WEB, a linguagem de programação padrão é o HTML – HyperText Markup Language. O documento criado com HTML é apresentado por outra linguagem, o Cascading Style Sheets ou CSS.

Logo, o/a desenvolvedor/a front-end utiliza o HTML para o desenvolvimento da base da página ou produto digital e personaliza sua apresentação e layout com o CSS, com recursos como estilo, cor, fontes e layout.

O JavaScript para desenvolvedor/a front-end também é uma super caixa de ferramentas, interessante e indispensável para o sucesso nessa carreira digital, pois essa linguagem determina uma função para o produto ou solução que está sendo desenvolvida.

Em geral, o JavaScript  ou JS é indicado para a inserção de recursos interativos com o/a usuário/a, como animações, rolagem, games, vídeos e áudios. Os recursos e plug-ins ficam ainda mais fáceis de serem aplicados com as bibliotecas do jQuery, por exemplo.

Essas são as linguagens de programação básicas para um/a bom/boa desenvolvedor/a front-end, mesmo assim decidimos ir além e apresentar alguns pontos importantes que podem ser grandes diferenciais para você iniciar ou reestruturar sua carreira de programador/a.

O que profissionais devem saber ao iniciar a carreira

Além das linguagens de programação, o/a desenvolvedor/a front-end deve ter ótimas soft skills. Não basta ser fera nos códigos! Ter um espírito colaborativo e saber trabalhar em equipe fará muita diferença.

Por isso, pessoas pacientes, criativas, determinadas, engajadas nos projetos e que conseguem atuar em conjunto com colaboradores/as de outras áreas, como vendas, marketing digital e designer, provavelmente vão permanecer e crescer em uma empresa digital.

Com relação a conteúdo técnico que pode funcionar como um diferencial na carreia de desenvolvedor/a, é interessante ter conhecimentos sobre frameworks JS para interfaces mais complexas e pré-processamento de CSS, com Stylus, LESS ou Sass, por exemplo.

Usar o GIT ou outro software de controle de versão em seus trabalhos também pode ser um grande diferencial.

Além disso, ainda é importante saber desenvolver designs responsivos e fazer todos os testes de depurações imagináveis e inimagináveis, para que o/a usuário/a não encontre nenhum bug no produto digital final.

Para aumentar suas chances de contratação como desenvolvedor/a front-end, nossa dica é elaborar um portfólio, que pode ser o seu Github, e colocar o link de acesso no LinkedIn.

Os setores de RH e as empresas de contratação precisam visualizar suas habilidades em programação, bem como conhecer seus trabalhos mais complexos, projetos em open source, freelances ou até mesmo trabalho voluntário.

Crie uma rede de relacionamentos com pessoas importantes para você no LinkedIn, como CTOs, CEOs e recrutadores/as.

Mostre também que você está disposto/a trabalhar em uma startup e em outras empresas digitais, tem flexibilidade de horário e está disposto/a a trabalhar em home office.

Para aumentar suas chances e fazer networking, é recomendado participar de eventos da sua área, trocar contatos, mostrar seu trabalho e manter proximidade com as empresas que estão se destacando no mercado digital.

Inovação e motivação são duas palavras de ordem para os/as novos/as desenvolvedores/as front-end que estão no mercado, por isso aplique o mindset de crescimento em todas as suas atividades e esteja aberto/a às experiências e possibilidades que essa carreira tão promissora vai te oferecer!

Para saber mais sobre como se preparar para atuar nessa carreira, clica aqui e confere um conteúdo com 10 habilidades que todo/a desenvolvedor/a precisa ter para conquistar o primeiro emprego na área!

Postagem anterior
Próxima postagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

formacao-desenvolvimento-web

Gama Experience - Formação em Desenvolvimento Web