O que é um processo seletivo e como aplicar corretamente em uma vaga

Uma das funções mais desafiadoras da área de recursos humanos é a elaboração do processo seletivo. Além de ser adotado por empresas, ele também é aplicado em escolas e universidades.

No caso de vagas de emprego, o intuito do processo é que os/as recrutadores/as obtenham mais informações sobre os/as candidatos/as, como competências técnicas e comportamentais, conseguindo escolher o profissional ideal para o cargo.

Ocorrendo em diferentes etapas, um processo seletivo é elaborado dependendo da vaga, instituição, urgência de contratação e outros fatores. 

Para contratar um profissional que se encaixe no fit cultural da empresa e na descrição da vaga, é importante estruturar um processo seletivo estratégico. Descubra o que é um processo um processo seletivo e como aplicá-lo!

O que é um processo seletivo?

O processo seletivo pode ser entendido como um agrupamento de técnicas para recrutar e selecionar candidatos para uma vaga de emprego.

Ele é amplamente utilizado para vagas de estágio, trainee e gestão, sendo adotado por empresas de diferentes tamanhos e áreas de atuação. 

Levando em conta as habilidades técnicas e as soft skills, o objetivo é identificar qual é o candidato com o perfil mais adequado e com desempenho alinhado para o cargo. 

Além disso, também é determinado se a pessoa se adequa à cultura organizacional da empresa, seus valores e missão no mercado. Sendo assim, o processo seletivo precisa ser criterioso e planejado nos detalhes.  

Segundo o levantamento Job Seeker Nation 2018, feito pela Jobvite, 30% dos candidatos deixam a empresa nos primeiros 90 dias após iniciarem em um emprego. Desse total, 32% apontam a cultura da empresa como motivação para pedirem demissão.

Quais são as etapas de um processo seletivo

Depois de entender o que é um processo seletivo, é importante lembrar que as etapas dependem da empresa e da vaga. Apesar de existirem fases comuns na seleção, a quantidade e o modo como são conduzidas são variáveis. 

No geral, o processo seletivo é formado pelas seguintes etapas:

  • Definição do perfil;
  • Atração dos candidatos;
  • Triagem dos candidatos;
  • Contato com a pessoa;
  • Entrevistas;
  • Negociação e contratação.

Além disso, após a finalização do recrutamento, as empresas podem optar pela revisão de todo o processo e ações de ajuste e aprimoramento das etapas, a fim de otimizar as técnicas e oferecer uma experiência positiva ao participante.

Definição do perfil e vaga

Na primeira etapa do processo seletivo, os/as profissionais do RH definem todas as tarefas da vaga. Logo, eles/as estabelecem quais são os requisitos do profissional ideal para o cargo. 

Geralmente, a descrição do perfil é feita junto aos gestores da área, pois eles trabalham próximos à pessoa escolhida para o cargo. 

Após entender o que é um processo seletivo, quais as funções principais do emprego e o perfil do candidato, os profissionais escrevem o anúncio da vaga, que precisa ser conciso, objetivo e atraente.

Atração dos candidatos

Essa etapa consiste na publicidade da vaga, sendo o período de divulgação do anúncio e atração dos candidatos. 

Primeiro, é necessário escolher em quais canais a divulgação será feita. As fontes podem incluir: redes sociais, sites de emprego, portal da empresa, grupos de WhatsApp, agências de emprego, entre outras. 

Em cada canal, os/as profissionais analisam os custos, quantidade e tempo de resposta dos/as candidatos/as. O local de divulgação é determinado segundo a maior probabilidade de encontrar profissionais qualificados/as. 

Triagem dos candidatos

Na etapa de triagem, os/as recrutadores/as fazem a seleção dos currículos que mais se adequam, ou seja, dos/as candidatos que cumprem grande parte dos requisitos da vaga para entrar em contato e explicar o que é um processo seletivo e como irá funcionar. 

Assim, ao dispensar uma parte das candidaturas recebidas, o resto do processo seletivo segue apenas com os participantes com maior chance de apresentarem um excelente desempenho no cargo. 

Nessa fase, o uso de softwares é um facilitador na triagem, pois é feito um ranking com todos os participantes e suas informações. 

Segundo uma pesquisa intitulada Entelo, Recruiting Trends Report 2018, os/as recrutadores/as de talentos revelam passar mais de 30% do seu tempo na seleção de candidatos. Um terço dos/as profissionais permanece pelo menos 20 horas por semana nessa função.

Contato com a pessoa

Ao encontrar um candidato interessante em potencial, os/as recrutadores/as fazem o primeiro contato com a pessoa. Seja por e-mail, ligação ou mensagem, essa conversa serve para alinhar as expectativas entre o/a candidato/a e a empresa. 

Além disso, ela também é uma forma de checar se as informações do currículo são verdadeiras. Por fim, caso goste do perfil, o/a recrutador/a costuma fazer a sondagem salarial.

Entrevistas

Depois de fazer o contato, a recomendação é fazer uma entrevista com o candidato, explicar o que é um processo seletivo e como irá funcionar para a vaga. Vale ressaltar que ela é feita pessoalmente e pode incluir uma dinâmica em grupo com mais participantes. 

Logo, a conversa é uma oportunidade para conhecer o participante e compreender a forma como ele trabalha. O entrevistado precisa se sentir confortável e a vontade durante a conversa, que é estruturada e conta com perguntas preparadas com antecedência.

Negociação e contratação

Mesmo após encontrar um ótimo candidato para a vaga, é necessário fazer uma proposta formal de emprego. Durante a negociação, o/a recrutador/a cita os seguintes pontos: faixa salarial, benefícios, escala de trabalho e data de início. 

Quanto ao salário, a conversa é um pouco mais complicada, uma vez que esse é o último ponto a ser discutido. Ao fazer a oferta de emprego, muito cuidado para não superar o orçamento estipulado e ser sensível quanto às expectativas do candidato.

As vantagens do processo seletivo para a empresa

O processo seletivo pode ser interno ou externo, cada um oferece diferentes vantagens para a instituição. No primeiro caso, a empresa procura por funcionários de seu próprio quadro para preencher uma vaga.

No processo interno, é possível aproveitar todo o potencial humano e fazer com que os funcionários permaneçam mais motivados e engajados. A fidelidade é outro ponto relevante desse modelo de recrutamento.

Além disso, ele possui um orçamento menor e é mais simples, uma vez que os profissionais já estão alinhados com a cultura da companhia.

Por sua vez, o setor de recursos humanos já está familiarizado com o perfil dos candidatos, com o que é um processo seletivo e como ele funciona, além de conseguir fazer a contratação mais rapidamente. 

Quando a seleção é feita externamente, um dos principais benefícios é a redução da taxa de turnover, que diz respeito à rotatividade de pessoal e o número de desligamentos e substituições. 

A admissão de colaboradores ainda enriquece o material humano, pois encontra pessoas com novas habilidades, motivações, ideias e talentos.

Além disso, a instituição pode renovar e aperfeiçoar sua cultura organizacional. Outra vantagem é a construção de novos relacionamentos e interações entre os colaboradores. 

Qual a importância de se realizar um processo seletivo

Caso seja planejado e eficiente, o processo seletivo é muito importante para o sistema de recrutamento da empresa e oferece resultados positivos.

Ele reduz as chances de uma contratação ineficaz e, consequentemente, evita os custos de uma demissão e de um novo processo seletivo. Além disso, ao contratar um profissional qualificado, é possível dispensar o treinamento e poupar tempo da equipe do RH. 

Processo seletivo para diferentes vagas 

Agora que você sabe o que é um processo seletivo, precisa entender que ele é moldado de acordo com a vaga anunciada. Tendo em vista as necessidades da função, a seleção interna pode ser suficiente para preencher o cargo.

Em alguns casos, quando a empresa não possui recursos ou um perfil adequado, a vaga é preenchida após um processo seletivo externo.

Dependendo da vaga e suas atribuições, o setor de recursos humanos pode considerar necessário aplicar testes comportamentais ou de conhecimentos gerais como etapas.

O custo para realizar um processo seletivo

No geral, um processo seletivo acaba apresentando um custo alto para a empresa e, por isso, precisa ser uma atividade bem planejada. 

Quando um processo seletivo não dá certo, as companhias acabam desencorajadas por causa do orçamento. Nesses casos, para não repetir os custos com o recrutamento, elas mantêm um funcionário não adequado para a vaga, o que causa prejuízo ao desempenho da função. 

É preciso evitar esse tipo de prática. Para isso, entender o que é um processo seletivo e como estruturá-lo bem, é fundamental. 

Agora que você saber o que é um processo seletivo, confira outros artigos do nosso blog para aprender mais sobre Recrutamento e Seleção.

Postagem anterior
Próxima postagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.