Como fazer a gestão de equipes remotas?

A gestão de equipes remotas inclui muitos desafios para os líderes e gestores que precisam se preocupar com as características do trabalho à distância. Confira nossas dicas para fazer uma gestão de equipes remotas eficiente.

O trabalho em home office é uma realidade em muitas empresas. Antes mesmo da pandemia mundial, esse modelo já era considerado uma tendência no mercado. Logo, é importante que as empresas pensem em melhorias na gestão de equipes remotas.

Além das vantagens do trabalho à distância, o modelo também oferece muitos desafios na rotina prática. Dessa forma, a gestão de equipes remotas exige uma série de habilidades especiais por parte dos/as gestores/as.

Equipes remotas: o impacto da pandemia

A pandemia impactou muitas empresas que foram obrigadas a aderir ao modelo home office, a fim de evitar a disseminação do vírus. Assim, o trabalho remoto deixou de ser apenas uma tendência para virar uma realidade.

Quando os/as funcionários/as trabalham à distância, a empresa é capaz de reduzir os seus gastos com a manutenção e a locação de um espaço, práticas importantes para os negócios em momentos de crise. 

Em 2020, durante a pandemia, 11% (8,2 milhões) dos trabalhadores ativos no Brasil atuaram no modelo home office. Em 2018, apenas 5,2% (3,8 milhões) dos brasileiros trabalhavam à distância. Esses dados foram obtidos em levantamentos do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Tendência no mercado digital

A pandemia apenas apressou a adoção do trabalho remoto em muitos negócios. Antes, as empresas já se planejavam para a necessidade de atender seus clientes à distância. 

Contudo, a exigência de equipes remotas aconteceu de forma abrupta e pegou os/as líderes e gestores/as de surpresa. Mesmo sem nenhum preparo prévio, os/as profissionais foram obrigados/as a passar por essa transição. 

Junto ao modelo híbrido, tendência para o futuro na pós-pandemia, o trabalho remoto é uma realidade no mercado digital que reduz gastos e permite que os funcionários desempenhem suas funções sem a necessidade de passar pelos desconfortos do cotidiano, como lidar com o transporte, por exemplo. 

Segundo a pesquisa Hábitos do Trabalho, encomendada pela Alelo ao Instituto Ipsos, para 49% dos funcionários empregados, 55% dos autônomos e 55% dos desempregados, a opção dos sonhos é trabalhar em casa ou em outro ambiente que não seja a própria empresa.

Mas, mesmo com os benefícios, a tendência do trabalho remoto oferece os seguintes desafios:

  • Organização da rotina;
  • Engajamento dos colaboradores;
  • Planejamento;
  • Comunicação truncada;
  • Problemas na gestão de tempo.

Como fazer uma gestão de equipes remotas

Por conta da distância imposta pelo modelo de trabalho, a gestão de equipes remotas demanda algumas competências específicas. Primeiro, uma excelente liderança é essencial para garantir um bom desempenho.

Além disso, para acompanhar a equipe remota, os/as líderes priorizam a flexibilidade e a sua capacidade de adaptação. 

Na gestão remota, é crucial fortalecer a confiança dos membros e assegurar que a equipe esteja alinhada nas suas metas. Uma das responsabilidades do líder é construir um ambiente favorável para esse trabalho. 

Semelhante ao líder de uma equipe presencial, o/a coordenador/a de um time remoto também exerce um grande papel na gestão. Ele/a se diferencia do/a gestor/a presencial pela necessidade de adaptar a rotina e as ferramentas sem perder a excelência do trabalho.

Uma gestão eficiente permite que a equipe permaneça envolvida e que os funcionários colaborem entre si para que os objetivos sejam atingidos. 

A importância de fazer uma boa gestão de equipes remotas

Atualmente, por causa do avanço tecnológico, os/as profissionais podem trabalhar em qualquer parte do mundo. Então, a gestão deve ser humanizada e eficiente. 

Uma boa gestão de equipes remotas é aquela que proporciona um canal de diálogo aberto, que consegue acolher e amparar os/as profissionais quando eles/as possuem dúvidas e queixas. 

Sendo assim, é fundamental que os/as líderes mantenham um telefone disponível e façam reuniões virtuais periódicas para que os/as profissionais possam expor suas expectativas.

Mesmo com a distância, os/as líderes precisam reconhecer os funcionários e garantir que eles se sintam parte da equipe. A gestão eficiente assegura um retorno positivo ao profissional quando ele alcança suas metas. 

Além disso, a gestão de equipes remotas também envolve o oferecimento de uma infraestrutura apropriada, visto que nem todas as pessoas possuem um espaço confortável e privado ou escritório. 

Por isso, a boa gestão de equipes remotas inclui o fornecimento de uma infraestrutura confortável, cuidados com a saúde mental e dicas para melhorar a qualidade de vida durante o horário de trabalho.

Dicas para fazer uma gestão eficiente

Planejamento

O planejamento é uma das principais dicas na gestão de equipes remotas. A partir dele, o líder guia os funcionários à distância.

Responsável por trazer segurança para a equipe, o plano é detalhado, disponibilizado virtualmente e inclui informações sobre o novo modelo de trabalho. 

O planejamento engloba todas as metas em curto e longo prazo, cronogramas de reuniões, trabalhos e entregas e um quadro geral sobre o projeto completo. 

Além disso, também são descritas as tarefas por pessoa, detalhes de acesso ao software da empresa e os canais de comunicação com o setor financeiro e de recursos humanos. 

Tenha uma comunicação transparente

Na gestão de equipes remotas, a comunicação precisa ser transparente. Por não estarem presencialmente no mesmo ambiente, é normal que os profissionais não tenham referência no andamento dos projetos. 

Assim, a honestidade dos/as colaboradores/as é indispensável. Ao invés de procurar por culpados, o diálogo permite que os profissionais trabalhem em prol das metas da empresa.

Envie feedbacks e estimule os questionamentos

A cultura dos feedbacks é essencial na gestão de equipes remotas. Enviados pontualmente de maneira construtiva, o objetivo desses retornos é auxiliar no desenvolvimento coletivo do time.

Realizado em uma reunião virtual, um feedback aponta melhorias e faz elogios. Por sua vez, mesmo com a distância física, a escuta ativa é muito importante.

Além de conversar com o colaborador, o líder precisa ser empático, acolhedor e saber ouvir. Estimular os questionamentos evita discussões e garante que os profissionais entendam suas demandas.  

Utilize a tecnologia

O gerenciamento de equipes remotas é mais fácil quando a empresa investe em tecnologia. Mas é necessário cuidado para selecionar ferramentas que atendam às necessidades da área de atuação e ao grupo de colaboradores. 

Ao optar pela ferramenta certa, as equipes conseguem compartilhar, produzir e visualizar os relatórios, documentos e apresentações. Além disso, elas também diminuem os problemas de comunicação e gestão de tempo. 

Por exemplo, uma ferramenta estabelece metodologias operacionais e melhora o contato por áudio, chat e vídeos. 

Cultura do trabalho remoto

Os líderes e gestores são referência para sua equipe. O trabalho remoto é uma oportunidade de ressaltar a cultura da empresa, seus valores e missão. 

A cultura do trabalho remoto estimula a colaboração dos membros e leva coesão para o trabalho, pois cada profissional entende sua participação no projeto, o que aumenta sua sensação de pertencimento. 

Além disso, essa cultura também inclui a descentralização da tomada de decisões, ou seja, o repasse de atitudes deve ser flexível para eliminar os impedimentos. Essa prática depende da confiança na capacidade dos membros da equipe e da liberdade concedida para esses talentos.

Agora que você aprender a fazer gestão de equipes remotas, confira mais artigos no nosso blog e continue desenvolvendo suas habilidades de liderança.

Postagem anterior
Próxima postagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.