Big data e inteligência analítica: quais as tarefas de uma pessoa que atua nesta área

Uma das principais características da revolução digital 4.0 é o surgimento de novas profissões que estão relacionadas à tecnologia da informação. Esse é justamente o caso das áreas de big data e inteligência analítica

Garantindo um amplo espaço no mercado de trabalho e perspectiva de futuro, o big data e a inteligência analítica são áreas correlacionadas e que direcionam a carreira de muitos/as profissionais.

Atualmente, a Internet e o modo de vida da sociedade são responsáveis pela produção de uma imensa quantidade de dados. Logo, é importante que existam profissionais especializados/as nessas áreas para atuarem na captação, organização e análise dessas informações.  

O que é big data e inteligência analítica?

Big data (traduzido do inglês para “Grandes Dados”) consiste no agrupamento de um volume alto de dados. Essa área do conhecimento se refere a ferramentas para analisar e interpretar essas informações. 

Após o tratamento dos dados, são gerados insights relevantes que auxiliam nas tomadas de decisões e estratégias das empresas.

Nesse sentido, o conceito de big data é relacionado à inteligência analítica. Além de possuir um banco de dados à disposição, é necessário obter todas as ferramentas para estabelecer como eles são usados e se estão de acordo com os objetivos principais da empresa. 

Essas áreas levam em conta os seguintes aspectos: volume dos dados, velocidade e variedade. Além do recolhimento, a interpretação das informações acontece em tempo real e visa a obtenção de insights.

Além disso, esses dados possuem formatos específicos, pois não seguem um padrão, e são retirados de lugares variados, o que exige habilidades de organização e pensamento analítico. 

Perfil profissional para atuar com big data e inteligência analítica

Quanto ao perfil de um/a profissional que busca trabalhar com big data e inteligência analítica, o primeiro requisito é ter afinidade e interesse com a área de ciências exatas. 

Assim, o/a profissional se diferencia por entender de matemática e ter habilidades na área de programação. Ter bom raciocínio lógico e a capacidade de resolver problemas são outras duas características fundamentais. 

Na carreira nas áreas de big data e inteligência analítica, também é essencial ter um perfil analítico, uma vez que a pessoa fará muitas avaliações baseadas em uma argumentação detalhada.

Por sua vez, a gerência utiliza o trabalho do/a especialista em big data na tomada de decisões. Então, por realizar um serviço que impacta o futuro dos negócios, os/as profissionais devem ter uma visão estratégica. 

Após a análise dos dados, esse/a profissional estrutura um plano de ação e o repassa para toda a equipe. Por isso, ser comunicativo/a acaba sendo uma soft skill recomendada ao perfil de um/a especialista em big data e inteligência analítica.

O que um(a) profissional dessa área faz?

Atualmente, os conteúdos são produzidos de forma veloz e em grande quantidade, o que demanda técnicas de análise atualizadas com frequência, especialmente na identificação de ameaças virtuais e na prevenção de fraudes. 

Uma das funções do big data é fornecer informações suficientes e relevantes para que a empresa estabeleça ações.

Além disso, na área que envolve big data e a inteligência analítica, os/as especialistas lidam com vários desafios, incluindo o processamento do volume de dados, a privacidade e exigência pela segurança e estrutura de dados

Os/as profissionais podem trabalhar em empresas grandes, com clientes particulares e startups iniciantes. Ao se especializar em big data e inteligência analítica, os/as profissionais são capazes de atuar nas seguintes funções:

  • Cientista de dados;
  • Desenvolvedor;
  • Especialista em Business Analytics;
  • Administrador de bancos de dados;
  • Analista de dados;
  • Cientista de machine learning.

Como está o mercado para esses profissionais

O mercado está cada vez mais aberto para profissionais que trabalham com big data e inteligência analítica. Especialmente no ramo de TI, os/as especialistas conseguem atuar em empresas de grande e pequeno porte. 

Em 2020, duas das principais profissões emergentes estavam relacionadas ao conceito de big data. De acordo com o relatório lançado pelo LinkedIn Brasil, as carreiras emergentes do ano incluíam cientista e engenheiro/a de dados.

Após a graduação, os/as especialistas encontram um mercado de tecnologia da informação com muita competitividade. Mas, por ter um perfil dinâmico, geralmente esse/a profissional consegue trabalhar em diferentes áreas. 

A primeira delas é no setor de marketing, pois o/a profissional consegue fazer a análise dos desejos dos consumidores e a estruturação de campanhas mais assertivas para cada público-alvo.  

O risco de mercado é outra área de atuação que envolve big data e inteligência analítica, já que são examinados os ganhos e prejuízos de investimentos, além de problemas na estrutura e falhas de segurança. 

Incluindo o data science e o time de vendas, a análise de informações também é capaz de ajudar na produção, inserção no mercado e venda de diversos itens. 

Já na área da saúde, esses/as especialistas são capazes de providenciar a organização das informações médicas dos pacientes e identificar melhorias para os planos de saúde. 

Por fim, as áreas de big data e inteligência analítica também são úteis para o setor de recursos humanos, pois os/as profissionais ajudam no fluxo de admissões e demissões e na retenção e atração de talentos. 

Qual a importância de ter profissionais dessas áreas

A grande quantidade de dados gerada nos dias de hoje não pode ser analisada com um simples software tradicional que possui um processamento básico. Logo, é essencial que a empresa contrate profissionais especializados/as em big data e inteligência analítica.

Esses/as profissionais são capacitados/as para lidarem com um volume alto e complexo de dados. Os/as especialistas em big data possuem técnicas inteligentes para dar apoio às ações de uma empresa e incentivar a geração de novos insights. 

Por que sua empresa deve investir em big data e inteligência analítica

Segundo uma pesquisa chamada “Big Data: The Next Frontier For Innovation, Competition And Productivity”, produzida pela Mckinsey, o big data é capaz de incentivar ondas de produtividade. 

De acordo com o levantamento, ao investir em big data, as empresas adquirem um potencial de ampliação das suas margens operacionais de 60%. Contudo, a pesquisa também aponta a escassez de profissionais nesse campo.

Big data e inteligência analítica podem ser o diferencial das empresas na Era Digital. Uma das principais vantagens está relacionada à tomada de decisões, pois a tecnologia traz mais assertividade e embasamento às ações dos gestores. 

Já no cotidiano, a inteligência analítica é importante porque estabelece, por exemplo, os riscos de um negócio e previne fraudes e ameaças cibernéticas. 

Quer saber mais sobre o mercado de trabalho na área de tecnologia? Confira mais conteúdos do nosso blog. 

Postagem anterior
Próxima postagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.