Docker: Deixando todos os ambientes idênticos para o trabalho
Matheus Soares

Docker: Deixando todos os ambientes idênticos para o trabalho

Quem trabalha com desenvolvimento de sistemas web sempre encontra um desafio na hora de publicar o sistema no servidor. Quem nunca ouviu aquela velha desculpa “Na minha máquina funciona”? Se você ainda não conhece o Docker, está na hora de conhecer.

Aquele momento, eu sei como é

Como desenvolvedor eu entendendo essa frustração e a vergonha que só o pai/mãe do projeto sente. Você se prepara tanto para apresentar o projeto e bang, a coisa toda funciona da maneira mais inesperada possível. E olha que eu não estava fazendo referência à tela azul na apresentação do Windows 98.

Como resolver esse problema?

Eu já passei por isso algumas vezes e resolvi esse problema criando um ambiente de desenvolvimento idêntico ao servidor de produção. Vocês já devem estar pensando:

“Ele está programando no servidor ou criou uma máquina virtual”.

Acredito que a resposta seja metade dos dois.

Eis que surge o Docker

Docker é uma ferramenta lançada em 2013 e tem como objetivo criar ambientes de trabalho modulares que podem ser utilizados em várias máquinas de forma fácil. Com o Docker, você virtualiza uma máquina e consegue colocar vários servidores para rodar em cima dessa virtualização. Tudo isso de forma leve, padronizada e segura.

O ambiente interno é completamente isolado, tendo seu próprio OS, configurações e aplicativos, não afetando o ambiente externo e melhor, sem consumir toda a memória do PC.

Como usar o Docker?

Seu funcionamento é ainda mais simples do que entender o que ele é.

Depois de instalar o Docker, você baixa a imagem que mais se enquadra ao seu aplicativo, configura seu sistema da maneira que você quiser e coloca ele para funcionar levantando esse servidor.

E que tal compartilhar todo o ambiente de produção com seu colega de trabalho? É simples, sobe suas configurações (container) em forma de imagem para o Dockerhub e pronto, está disponível para ser baixado pela sua equipe.

Uma imagem que resume isso tudo:


Anterior: Designer e Dev: Um casamento bem sucedido Próximo: Profissional de Marketing, você conhece o Canvas?

1 Comentário

Deixe seu comentário
  • Git: Quais são os 5 principais comandos? | Gama Academy | Blog Faca na Carreira
    Git: Quais são os 5 principais comandos? | Gama Academy | Blog Faca na Carreira 9 de junho de 2017 em 00:02

    […] um sistema de controle de versão distribuído e também para gerenciamento de código fonte. No modelo distribuído, cada […]

Deixe seu comentário

Pular para a barra de ferramentas