Daniel Belalian

Como manter a saúde financeira da sua startup?

Você sabia que, assim como nós, as startup também precisam de cuidados? Este controle preventivo também deve ser feito para o caixa em sua instituição. Se você nunca fez isso, comece agora!

A principal preocupação é como separar as finanças pessoais das startup. Nem pense em pagar pelo café do copo com o cartão empresarial, está bem? Também é muito importante desenvolver o futuro planejamento de despesas e receitas – não tenha medo de planilhas, eles são amigos!

Para que sua startup cresça, você precisa ter controle sobre números e finanças. Tenha em mente as despesas, os investimentos, os lucros e o ticket médio. A saúde financeira é boa quando há manutenção de atitudes e tomada de decisão rápida, sempre com base em informações confiáveis. Ou seja, chegamos à conclusão de que precisamos processar informações e números o tempo todo!

Mas minha startup terá números confiáveis suficientes?

A solução para gerenciar efetivamente uma startup é a conciliação de cartões de crédito e débito. A conciliação visa confirmar se o controle financeiro está de acordo com os movimentos diários.

Em outras palavras, permite verificar se você recebeu tudo o que deveria, bem como fazer uma previsão de “recebíveis”. Sem mencionar que as taxas cobradas por transação podem de repente mudar e fazer uma pausa nas suas contas (fique atento!). Esta lista de verificação é automatizada, graças ao software que também ajuda a controlar o lado financeiro da sua startup.

Além disso, separei 9 dicas incríveis para você manter a saúde financeira da sua startup:

1. Faça a contabilidade de despesas

Você deve ter contabilizado todas as despesas da sua startup, sempre acompanhando todo o dinheiro que sai da organização. Só então será possível ver se algo está fora de controle e precisa ser revisado.

Uma boa maneira de explicar as despesas de uma startup é classificar os valores que deixam o fluxo de caixa. Podem ser criadas categorias de custo fixo para a estrutura – como água, energia, internet e aluguel de contas imobiliárias – e despesas variáveis, como a reparação de equipamentos.

A categorização das despesas da sua startup lhe dará uma dimensão dos gargalos que podem ser reduzidos ou mesmo eliminados. Dessa forma, se você perceber que gasta muito dinheiro na conta do telefone, você pode optar por alternativas para este serviço – como fazer chamadas do Skype ou do WhatsApp.

2. Remova suas dívidas o mais rápido possível


Muitos empreendedores, ao iniciar uma startup, fazem empréstimos no banco ou outras instituições para iniciar a startup: investir em máquinas, móveis, infra-estrutura, etc.

No entanto, as dívidas, quando não são pagas a tempo, podem gerar taxas de juros extremamente elevadas – o que dificulta o lucro. E isso acaba afetando (e muito) a saúde financeira da startup.

Para se livrar da dívida em breve, recomenda-se que um montante mensal seja reservado para o pagamento de contas apenas. Isso os impede de rastejar por muito tempo e deixar a startup no vermelho.

3. Estipular metas a serem cumpridas


Para que você sempre cresça com um saldo bancário positivo e livre de dívidas, recomenda-se estabelecer metas para obter novos recursos para sua startup.

No início de cada ano, no desenvolvimento do planejamento estratégico da organização, pode-se definir o objetivo a ser adquirido durante o ano. Os objetivos poderiam ser, por exemplo, adquirir um novo computador para a startup, reformar uma parte da sede, contratar um novo funcionário para um determinado setor, etc.

Os objetivos servem de ponto de chegada à trajetória anual da startup. Desta forma, os gerentes devem salvar para atingir metas sem incorrer em dívidas ou “passar mais do que a perna”.

 

4. Avalie ofertas ao fazer compras


Ao comprar insumos e materiais para sua startup, recomenda-se avaliar os melhores preços e ofertas no mercado – sempre visando a economia.

Se, por exemplo, você precisa comprar novos computadores para a startup, você pode orçar com três ou quatro lojas de TI em sua cidade – para identificar qual pode oferecer um preço maior para as máquinas.

Quando você compra produtos sem procurar, você corre o risco de pagar mais por isso – e às vezes o mesmo produto pode ser comprado a um preço mais baixo de outra startup. É por isso que a pesquisa sempre é tão importante antes de finalizar qualquer compra.

5. Tenha sempre um capital de giro


Para garantir a saúde financeira da startup, é essencial que o empreendedor tenha capital de giro. Esse dinheiro, no início, pode ser usado para a compra de matérias-primas ou materiais necessários para o desenvolvimento de atividades comerciais.

Após esse período, quando tudo já está bem estruturado, o valor do capital de giro pode ser usado para evitar que a startup cause danos causados ​​pelo padrão de seus clientes, por exemplo. Ou, para investir em campanhas de marketing e obter mais pessoas para conhecer a marca.

6. Faça previsões para cenários futuros


As questões relacionadas com a política e a economia sempre devem estar entre as questões que um empreendedor acompanhe ao ler jornais e revistas ou acessar portais de notícias na internet.

O empreendedor deve sempre acompanhar as tendências econômicas do mercado, saber quando e onde investir (ou não investir) para obter maior rentabilidade e evitar perdas.

7. Os funcionários estão envolvidos na cultura organizacional


Sua startup precisa ter uma cultura organizacional bem definida com missão, visão e valores – e isso deve ser tomado como preceitos básicos para quem trabalha lá.

Entre estes valores, deve haver uma consciência contínua de que os gastos desnecessários – como deixar muitos equipamentos conectados ao mesmo tempo, fazer chamadas de longa distância a longa distância e evitar materiais trabalhistas devem ser evitados.

Os funcionários precisam ser informados de que, ao economizar recursos da startup, eles também podem colher benefícios – como um aumento de salário, pois a organização pode alocar menos dinheiro para pagar outras contas.

 

8. Contratar com um bom contador


Tanto quanto você adota boas práticas para economizar dinheiro, é necessário contratar um bom contador para ajudá-lo a gerenciar as finanças de sua startup.

Este profissional pode ser contratado e atuar tanto na própria organização como por conta própria e apenas presta serviços.

9. Use ferramentas de gerenciamento tecnológico


Atualmente, existem aplicativos como o Asaas, que podem contribuir grandemente para manter o setor financeiro da sua startup sempre atualizado. Este tipo de aplicativo ajuda o empreendedor a receber seu dinheiro com profissionalismo e garantia de sucesso.

Ao seguir nossas dicas, temos a certeza de que manter a saúde financeira da startup será algo feito diariamente – sem grandes complicações.


Anterior: Glossário Data Science: conheça os principais termos utilizados na área Próximo: Os 13 pontos da metodologia de ensino do Gama Experience

Sem Comentário

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Pular para a barra de ferramentas